Rufino-J pretende conquistar Luanda com sua musicalidade

Rufino-J pretende conquistar Luanda com sua musicalidade

9 de agosto de 2019

Rufino-J começou a cantar Ghetto Zouk e Kizomba há seis anos no Bié. Com letras que apelam para o altruísmo e o respeito pela diferença conquistou popularidade no Kuito. O jovem de 20 anos chegou a Luanda para desafiar produtores e empresários.

Com dez músicas gravadas, o cantor conquistou popularidade na sua terra natal. Mas é em Luanda onde quer materializar o sonho de se tornar num cantor profissional e acredita que, por abordar sobre altruísmo, fraternidade e aceitação do outro, vai conseguir invadir o mercado musical luandense.

“Vim cá em Luanda à procura de produtores e empresários. Quero construir o meu nome aqui, conforme fiz lá no Kuito. Tenho certeza que vou conseguir”, disse.

Apesar de ser na música que deseja se afirmar, Rufino-J é também pintor e artista plástico. Com desenhos abstractos, realistas e infantis alimenta o sonho de ser cantor profissional. 

Diariamente anda de rua em rua para comercializar seus quadros e continuar a sonhar, mas queixa-se por várias vezes ter que se deslocar do Bié para Luanda para entrevistas e ser "barrado".

“Já saí do Kuito para Luanda à procura de entrevista. Outras vezes até me ligaram… Comprei roupas novas mas... quando cheguei aqui, disseram que foi engano”, visivelmente aborrecido lamentou.

Estudante de Direito, Rufino Jamba Ezequiel é o último de oito irmãos. Em sua casa apenas ele canta e toca instrumentos.

Apesar de ainda não conseguir viver da música, o cantor diz sentir-se feliz por já ter ganho algum valor com a música numa actividade no Huambo.

“O primeiro cachet foi de 5 mil Kwanzas. Cantei duas músicas numa actividade escolar. O preço mais alto foi o de 10 mil Kwanzas numa actividade no Huambo. Não me senti desprezado”, narrou.

Sua vinda à Luanda foi motivada pelo seu primo Pedrito do Bié. Parte das músicas de Rufino estão disponíveis num blogue local denominado Cardi Music.

“O nosso maior erro é sonhar e não lutar. O meu primo Pedrito do Bié também me influenciou a vir cá”, disse.



Texto: Albino Tchilanda

Fotografia: Alcides da Conceição

Fonte: Neovibe

Tags: #RufinoJ , #Músico , #Sonhos , #Projectos , #Bié , #Luanda