Gilberto Kapitango imortaliza a música da cultura Ovimbundu em obras de arte

Gilberto Kapitango imortaliza a música da cultura Ovimbundu em obras de arte

2 de setembro de 2019

Fortemente influenciado pelos estilos Ombenje, Oluiko e Handa, Gilberto Kapitango decidiu transformar suas experiências musicais em obras de arte. O objectivo, segundo conta, é perpetuar a música e o diálogo ancestrais, principalmente dos Ovimbundu.

O artista inaugurou na última sexta-feira, na Galeria Tamar Golan, em Luanda, a sua segunda exposição individual denominada ‘Olomesene Vio Visikilo Ponjango Lovisungo Viovambo Vetu’, ou seja, ‘Os Mestres no Diálogo com as Nossas Canções nas Aldeias’.

Da série de obras apresentadas, o destaque vai para a instalação ‘Olomesene Vio Visikilo Ponjango Lovisungo Viovambo Vetu’ que, por sinal, é o título da exposição. Esta obra, explicou Kapitango, representa a resistência da cultura Umbundu.

“As obras representam o diálogo entre a música e a pintura. O Olomesene Vio Visikilo Ponjango Lovisungo Viovambo Vetu traduz a resistência da tradição Umbunbu”, sublinhou.

Ao traduzir as experiências da música tradicional Ombenje, Oluiko e Handa, subjacentes na cultura Umbundu, sobretudo na do povo do Bié, para pintura, o também professor do ISART deseja mostrar à sociedade a importância da filosofia e das línguas africanas.

“Quem me dera pudesse escrever todo esse texto em Kimbundu, Kikongo ou Fyoti”, comentou.

Danças e musicais tradicionais caracterizaram o evento. Estudantes e vários artistas plásticos acorreram ao local para assistir à exposição que continua patente ao público.

Natural do Bié, Gilberto Kapitango é investigador, artista plástico e professor no CEARTE e ISART. Desde que começou, já participou de várias exposições colectivas. Sua primeira exposição individual aconteceu em 2018.  


Texto: Albino Tchilanda 

Fotografia: Alcides da Conceição

Fonte: Neovibe

Tags: #ExposiçãoIndividual , #OlomedeneVioVisikilo , #GilbertoKapitango , #GaleriaTamarGolan