Uólofe Griot partilha fragmentos da sua vida na exposição Autorretrato

Uólofe Griot partilha fragmentos da sua vida na exposição Autorretrato

11 de fevereiro de 2019

Uólofe Griot inaugurou na sexta-feira à noite, no Espaço Luanda Arte, a exposição individual ‘Autorretrato’. Na amostra, o artista plástico partilha fragmentos da sua vida, das suas experiências, instantes e lugares que evocam o seu passado.

Segundo Adriano Cangombe, o curador da exposição, na amostra ‘Autorretrato’, Uólofe partilha numa série de pinturas e fotografias, recortes e fragmentos da sua vida, das suas experiências, instantes e lugares que evocam o seu passado.

“Autorretrato é uma exposição autobiográfica. É o reflexo das minhas vivências e percurso artístico. Na verdade, não reflecte apenas quem sou. Nela encontramos as pessoas e o meio que me envolvem”, introduziu Uólofe Griot.

Motivado pela lenda asiática ‘Akai ito’ (fio vermelho invisível), Uólofe Griot desconstrói a mesma alargando o seu nível de ligação para além do encontro de almas gémeas. O artista plástico fala da conexão espiritual entre as pessoas e da ligação com a Natureza.

“Akai ito faz parte da mitologia asiática, existente no Japão e na China. Diz que existe um fio que conecta os seres humanos. Especialmente homens e mulheres, destinados para ficar juntos. Procurei alargar o sentido desta mitologia, porque de certa forma todos nós estamos conectado por este fio vermelho. E o objectivo desta exposição é levar as pessoas à conexão, interação e comunicação”, frisou.

Durante cinco meses de residência, no Espaço Luanda Arte Uólofe Griot produziu as 42 obras desta sua segunda exposição individual. “Trabalhei com a minha parceira Kisha Kipito Kussamba. Enquanto eu desenhava e pintava, ela costurava as minhas obras. Nessa exposição podemos encontrar tendências do minimalismo, do abstrato e do bordado contemporâneo”, contou.

Griot revelou que quando começou a conceber a exposição, não tinha ainda nenhum fio condutor para a mesma. “Mas quando fui ao Bengo, província dos meus pais, para restaurar a campa do meu avô, consegui ter uma ideia mais elaborada sobre essa exposição”, contou.

“Pela primeira vez Uólofe desempenha a sua função de griot, do contador de histórias nos brindando com a sua própria história, suas memórias e sua vida”, sublinha Adriano Cangombe.

Simão André Sebastião ou Uólofe Griot nasceu aos 13 de Março de 1989, em Luanda. Artista plástico e design-ilustrador, estuda no Instituto Superior de Artes (ISART). É membro da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP).


 

Texto: Lourenço Mussango

Fotografia: Alcides da Conceição

 

Fonte: Neovibe

Tags: #Autorretrato , #ExposiçãoIndividual , #ArtesPlásticas , #UólofeGriot , #KishaKipitoKussamba , #EspaçoLuandaArte