Poetisas juntam-se para condenar práticas que lesam a liberdade da mulher

Poetisas juntam-se para condenar práticas que lesam a liberdade da mulher

25 de março de 2019

Na noite de sexta-feira, no King’s Club, em Luanda, aconteceu a 1.ª edição do recital poético ‘Forno Feminino’. No evento, as poetisas condenaram os crimes praticados contra as mulheres.

No palco do King’s Club, Miss Ruffo, Irene A’mosi, Isvânia Morázia, Poetisa Lua, Antónia Santos, Isy-Sil, Poetisa Cacau, África Gomes e Lúcia Gerlú fizeram-se ouvir para denunciar a violência contra a mulher.

Em companhia da slammer Bel Neto, as nove poetisas advogaram a emancipação e a liberdade sexual da mulher. Denunciaram os estereótipos e preconceitos e também condenarem os crimes passionais e a objectificação da mulher.

Irene A’mosi, uma das protagonistas do evento, reprovou a visão distorcida e limitadora que muitos cidadãos têm sobre a mulher. “Então, este recital vem para dizer que as mulheres podem e fazem mais e melhor.  Merecemos ter destaque na sociedade”, exigiu.

Jack Bento, um dos organizadores do evento ‘Forno Feminino’, informou que o recital surge para mostrar o valor das mulheres no mundo das artes. “Elas trazem muita qualidade. E essa qualidade transmite uma temperatura forte. Daí a escolha do nome”, disse.


 

Texto: Lourenço Mussango

Fotografia: Alcides da Conceição

 

 

 

Fonte: Neovibe

Tags: #FornoFeminino , #RecitalPoético , #9Poetisas , #BelNeto , #ConvidadoEspecial