Tata Yetu apresenta ‛Angola A Unidade Na Diversidade’

Tata Yetu apresenta ‛Angola A Unidade Na Diversidade’

8 de agosto de 2018

O colectivo de arte ‛Tata Yetu’ exibiu ontem à noite, no Auditório Pepetela, a peça teatral ‘Angola A Unidade Na Diversidade’. A peça dramatiza as vivências dos povos que constituem o actual mosaico cultural de Angola.

Aplaudido em pé pelo público, o drama, que durou 35 minutos, foi uma viagem histórica pelos mais variados problemas sociais, políticos, económicos e culturais dos povos do território que outrora era chamado ‛Ngola’.

 A peça foi escrita pelo encenador Anderson de Sousa Mendes, de 29 anos, licenciado em Administração Gestão de Empresa e Marketing.

“Criei-a em gesto de manifestação de cada povo que constitui o actual mosaico cultural de Angola, de modo que esse encontre a sua verdadeira essência, há muito perdida, fruto da globalização”, disse em declaração à Neovibe.

A peça foi escrita em dois dias, aquando do concurso ‘Angola Independente’, organizado pelo grupo ‘Actos e Cenas’, do qual o ‘Tata Yetu’ foi o 3º classificado na 2ª edição.

A peça é interpretada por oito personagens, cuja caracterização permitiu cada actor personificar um reino ou país, como se lhes foi atribuído os nomes: Angola, Khoisan, Vátua, Pigmeu, Bantu e Português.

Da plateia, ouvimos Carlos Cardoso, professor de matemática, que, com semblante de satisfação, disse ter conseguido “rever uma história passada há séculos” e parabeniza o esforço daqueles que conseguiram “situar o quê ainda se faz no presente, repercutido no que se viveu no passado”.

Para Anderson Mendes, sua criatividade resume-se numa única mensagem: “O princípio da sabedoria é o temor a Deus”.

Criado há 14 anos, o colectivo é composto por 62 pessoas. Dessas, 20 adultos e 42 crianças, dos quais aprendem a arte com a qual se identificam e revêem, desde a dança, música, teatro ou a declamação de poesia.

Para o mês em curso, o colectivo tem já em agenda, no dia 19, a apresentação da peça ‘Desastre da Bebedeira’, na paróquia S. Francisco Xavier, no bairro Mártires do Kifangondo.


 

Texto: David Gaspar

Fotografia: Santo César

Fonte: Neovibe

Tags: #PeçaTeatral , #AngolaAUnidadeNaDiversidade , #ColectivoDeArtes , #TataYetu