Kizua Gourgel releva estórias por detrás das músicas do álbum Rotineiro Incansável

Kizua Gourgel releva estórias por detrás das músicas do álbum Rotineiro Incansável

13 de maio de 2019

Na sexta-feira à noite, aconteceu o concerto ‘As Canções do meu Violão’. Ao partilhar detalhes de como compõe suas canções, Kizua Gourgel deu alma às músicas do álbum ‘Rotineiro Incansável’.

Wilder Amado inaugurou o concerto, interpretando quatro músicas de sua própria autoria.

“Peço uma salva de palmas para Wilder Amado, não é só um excelente cantor e compositor... Pelo seu brio profissional e valor como músico, foi selecionado para ser o director musical deste projecto”, anunciou Kizua Gourgel.

No primeiro de uma série de cinco concertos que pretende fazer para apresentar as músicas do seu novo disco intitulado ‘Rotineiro Incansável’, Kizua Gourgel começou por interpretar o tema ‘Maldita Mulata’, música original de Toty Sa’Med.

“Sejam muito bem-vindos a esta grande viagem que é o Rotineiro Incansável. A ideia deste primeiro concerto é trazer-vos à minha sala de estar e mostrar como compus as músicas”, informou.

Músicas como ‘Talvez um Dia’ e ‘Dilema’ ganharam vida no palco da Casa da Cultura do Rangel Njinga A Mbande.

“Quem me conhece sabe que as minhas canções são feitas de momentos muito pessoais e íntimos. Quem me ouve com atenção, facilmente consegue identificar que tipo de pessoa eu sou”, revelou.

Kizua Gourgel fez questão de partilhar com os fãs a sua primeira música instrumental que integra o ‘Rotineiro Incansável’. ‘Mamussinga’, o título da referida música, é o nome da sua esposa.

“Chama-se Mamussinga. É uma música que acredito que, de forma instrumental, consiga dar as várias nuances que esta mulher tem. Desde o lado mais bravo, meigo e até o mais complicado”, contou.

O autor do ‘Rotineiro Incansável’ partilhou parte das estórias por detrás de cada música interpretada. Suas dores, alegrias, e a forma como vive e observa os fenómenos sociais não fugiram às suas abordagens. O público presente pôde ouvir ‘Vou Partir, ‘Tapa Buracos’ e ‘Amanheceu’.

Para saudar o aniversário e homenagear aquele que foi seu mentor e mestre musical, Kizua interpretou a música ‘Jinjila Já Nvunda’, de Beto Gourgel.

“Daqui a algumas horas é o aniversário do meu pai, daí que insisti pôr essa música neste reportório”, sublinhou.

Na voz de Kizua Gourgel, o público ouviu também ‘Hino ao Amor’, de André Mingas e visitou o clássico do cancioneiro angolano ‘Hoola Hoop’.



Texto: Lourenço Mussango

Fotografia: Alcides da Conceição

 

Fonte: Neovibe

Tags: #AsCançõesDoMeuViolão , #ConcertoMusical , #KizuaGourgel , #RotineiroIncansável , #NovoÁlbum