Radio NEOVIBE
Iniciando ...
...
27.11.2017

Hélder Simbad vence Prémio Literário António Jacinto 2017


Por: Lourenço Mussango 

 

Com a obra 'Rosa de Fogo-Erótica Africana e Evangelho', agora intitulada 'Enviesada Rosa', o jovem escritor, Hélder Simbad venceu, na semana passada, o Prémio Literário António Jacinto 2017.

O júri presidido por Óscar Guimarães e integrado pelos escritores Albino Carlos e Isaquiel Cori justificaram que, a obra vencedora revela uma forte cultura literária e que se insere na melhor tradição da poesia angolana e utiliza com propriedade o encadeamento de conceitos que permitem uma análise perfeita do conteúdo de cada poema.

À Neovibe, Cíntia Gonçálves, a prefaciadora do livro, ‘Enviesada Rosa’’ é um título que destaca o desdobramento da feminilidade africana na sua forma mais selvagem.

 

Embora rosa seja vista, na maior parte das vezes, como um símbolo dos apaixonados, para o caso do catolicismo, como um dos componentes mais representativos do santo rosário, o escritor Helder Simbad apresenta-a como o emblema mais expressivo do sexo biológico da mulher, a deusa erecta, um nome onde o genital é uma figura maior e histórica. 

Hélder Simbad é heterónimo de Helder Silvestre Simba André, nasceu aos 13 de Agosto de 1987 em Cabinda. É Técnico Superior de Línguas, Tradução e Administração pela Universidade Católica de Angola. 

Lecciona  a cadeira de Literatura Africana no ICRA. É ainda Coordenador Geral e membro co-fundador do Movimento Litteragris, para além de poeta, prosador e crítico literário. Escreveu poemas, contos e artigos publicados nas antologias «Galiza-Angola:Sementes da Língua; «Nave Poética»; «AFROCENTRIC:anthology of African poems» e «Colectânea Travessia»;  revista Palavra&Arte;  Jornal Cultura Angolana e Revista Tunda Vala.

 

Já foi o terceiro classificado do Concurso Literário Internacional de poesia realizado pela Academia Internacional De Artes, Letras E Ciências em 2017.

O prémio António Jacinto , que conta com o patrocínio do Banco Económico, é uma realização do Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INIC), produzido anualmente para homenagear o Poeta António Jacinto do Amaral Martins, um dos grandes vultos das Letras e da Cultura Nacional da década de 1960.

 

Fonte: Neovibe
Voltar