Jovens artistas desejam transformar Serra da Leba no maior mural de África

Jovens artistas desejam transformar Serra da Leba no maior mural de África

10 de maio de 2019

Decorreu na noite de ontem, no Centro Cultural Brasil-Angola, uma conversa sobre a Arte Urbana. Moderados por Tho Simões, os artistas Zéh Palito, Diego Mouro, Senhor Poste e Mac 33 falaram sobre murais e grafites em Angola e no Brasil.

A Arte Urbana, abordada ontem à noite, no palco do CCBA, refere-se a manifestações artísticas desenvolvidas no espaço público. Porém, a fim de delimitar a conversa, os grafiteiros brasileiros e angolanos apenas trataram de falar sobre murais e grafites.

Os angolanos Senhor Poste e Mac 33 avançaram que os primeiros vestígios da arte urbana em Angola surgiram no fim dos anos 90 e princípio do ano 2000, tendo Spent como um dos maiores percursores.

Por seu turno, os brasileiros Zéh Palito e Diego Mouro esclareceram que, diferente de Angola, no Brasil, a Arte Urbana congrega várias correntes nitidamente divididas.

“Na Arte Urbana brasileira, estamos divididos por correntes. Temos a galera do grafite, do muralismo, da pichação e do stencil”, disse o pintor mural Diego Mouro.

Mac 33, membro do colectivo Verkron, queixou-se da falta de uma estrutura organizada de Arte Urbana em Angola. Já Senhor Poste, apelou por Jam de Arte Urbana para incentivar os grafiteiros e desenhistas e criar maior intercâmbio entre os jovens.

Sobre sua vinda a Angola, Diego Mouro mostrou-se honrado e incentivou os artistas angolanos a continuarem a pintar suas vozes nos murais da cidade.

“O importante é que vocês já perceberam que a cidade também vos pertence. E isso é o primeiro passo para a revolução”, sublinhou Diego Mouro.

Zéh Palito e Diego Mouro, artistas brasileiros com carreiras internacionais, enfatizaram a importância do projecto artístico Murais da Leba, que conta com a impressão digital de Tho Simões, Mac 33, Rafa e de outros artistas do colectivo Verkron e Baw Crew.

“A África não está colocada no circuito dos festivais internacionais de Arte Urbana. Porém, o Murais da Leba abriu um diálogo entre artistas brasileiros e angolanos e seguramente está a inserir a África nesse circuito”, enfatizou Diego Mouro.

Este projecto que leva a Arte Urbana à Serra da Leba tem permitido que haja maior intercâmbio artístico-cultural entre jovens angolanos e brasileiros. Já permitiu que o jovem grafiteiro angolano Rafa conhecesse Brasil e mostrasse a sua arte em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Zéh Palito fez questão de dizer que a Serra da Leba é um dos lugares mais lindos que já pintou.

“O Projecto Murais da Leba tem sido uma experiência positiva e muito boa. Deu um contributo fantástico para a nossa arte. O objectivo é que este mural seja o maior de África”, sublinhou Mac 33, do colectivo Verkron.



Texto: Lourenço Mussango

Fotografia: Alcides da Conceição

 

Fonte: Neovibe

Tags: #ArteUrbana , #Angola , #Brasil , #ZéhPalito , #DiegoMouro , #SenhorPoste , #Mac33