Noite e Dia prepara lançamento de obra com diferentes estilos

Noite e Dia prepara lançamento de obra com diferentes estilos

9 de maio de 2019

Noite e Dia começou a carreira aos 18 anos. A kudurista revelou à Neovibe que está a preparar uma obra com variados estilos. Mostrou suas opiniões sobre o Kuduro e esclareceu alguns mistérios à sua volta.

Natural da Precol, município do Rangel. Em criança, Anabela Etianeth Ferreira Bento adorava dançar. A primeira vez que segurou o microfone, fê-lo por influência. Agora é uma das maiores referências do Kuduro no país.

Tal como parte dos jovens, nostálgica, Noite e Dia conta que entrou para o Kuduro porque sentia que lhe faltava algo. Hoje, a cantora agradece por o estilo ajudar-lhe emocionalmente.

“Entrei no mundo da música porque sentia a falta de alguma coisa. O Kuduro ajudou-me psicologicamente. Preencheu o que faltava em mim”, lembrou.

O psicadélico, característico desse estilo de música, resulta de estudos que os kuduristas fazem antes de escrever, cantar e coreografar.

“Sou muito tímida. Antes de escrever, cantar e dançar, estudo o comportamento das pessoas, vou ao espelho e passo horas à procurara do toque certo”, explicou.

O desejo de continuar a oferecer a alegria aos adolescentes não pára. Neste momento, está a preparar um EP de cinco músicas em estilos diferentes. Mas deixa claro que não pensa em imigrar para outros géneros musicais.

“Brevemente, vou tirar um EP em estilos que nunca fiz. Estilos como Afro House. Mas não pretendo imigrar. Fugir do Kuduro não é dos meus pensamentos”, clarificou.

Actualmente com 35 anos, Noite e Dia já tem 18 anos de carreira. Recentemente, a kudurista pensava em pôr um fim ao vínculo contratual com a sua produtora, e não abandonar a música, conforme se especulava.

“Apenas pedi a minha retirada da produtora. Eu nunca disse que deixava de cantar. Quando me apercebi que muita gente depende de mim, tive que recuar”, esclareceu.

Uma das fases mais altas da sua carreira foi em 2004 quando venceu o Top Kuduro, uma iniciativa da Rádio Nacional de Angola. Mas foi com a música ‘Kibeixa’ que sua vida mudou. “Nunca vou esquecer o ‘Kibeixa’. Mudou-me a vida”, assumiu.

Formada em Gestão Empresarial, actualmente, Anabela Etianeth Ferreira Bento concilia a carreira artística com a de técnica do Ministério do Interior.



Texto: Albino Tchilanda

Fotografia: Santo César 

Fonte: Neovibe

Tags: #NoiteEDia , #Kudurista , #NovaObra , #EP